APARTAMENTO DO TRIATLETA

2009

Quando o triatleta Santiago Ascenço contratou o escritório das arquitetas Arytana e Ticiana Stefenoni para o projeto do seu futuro apartamento, levou em consideração, além da afinidade pessoal, o fato de Arytana também ser esportista. Praticante de triátlon há cinco anos, a arquiteta entenderia melhor as necessidades de Santiago. “Ele se envolveu em todo o processo de criação do apartamento”, conta a profissional. O apartamento de áreas integradas destaca tonalidades neutras e itens de cor laranja no décor.
“Como ele vive no mundo do esporte com tantas cores e informações, ele pedia tons tranquilizantes, um lugar em que ele pudesse descansar”, diz. A proposta é justamente que ele pudesse fazer uma massagem enquanto acompanha o esporte na TV e ao mesmo tempo usa o computador. “Grande parte do meu trabalho como técnico é online, então do computador eu resolvo tudo. E no meu trabalho como atleta eu acabo ficando muito em casa entre os treinos”, revela Santiago. Então, o apartamento foi pensado para ele descansar e trabalhar.
Quanto ao mobiliário, elas se preocuparam com a funcionalidade, dando prioridade a peças que aliassem beleza e praticidade para o dia-a-dia. As arquitetas investiram em móveis e revestimentos de madeira, sendo algumas peças assinadas por designers consagrados no cenário nacional, como Carlos Motta, Sergio Rodrigues e Guilherme Wentz. Alguns dos objetos de design foram garimpados em viagens ao exterior. “O Santiago é apaixonado por design, ele pesquisou todas as peças que ele queria”, revela Arytana.
O projeto de iluminação traz com fitas LEDs embutidas nos nichos e o uso de abajures e pendentes nos espaços. “A iluminação foi decisiva para o conforto. É extremamente agradável estar nesse apartamento tanto de dia quanto de noite”, explica a arquiteta.  Arytana ainda conta que insistia nas reuniões para fazerem um espaço de destaque no projeto para a bicicleta e os troféus de Santiago. “Como o prédio estava em obras, eu tive a oportunidade de tirar uma varanda gourmet e adaptar para o uso dos troféus e da bike”, explica ela. O cantinho se tornou a menina dos olhos do projeto. “Só quem é do meio sabe o valor que a bicicleta tem. Não o valor monetário, mas o sentimental”, conclui ele.
Gostou do projeto? Se você ficou interessado em conhecer mais sobre o trabalho das arquitetas Ticiana e Arytana Stefononi, clique aqui ou na foto abaixo, e confira mais alguns dos projetos assinados pela dupla.


COMENTÁRIOS

Juca Paulo 17/07/2016 15h15

Santiago, grande atleta, com um apartamento a altura das suas conquistas . parabens a Ticiana .

* Campos obrigatórios. Seu email não será divulgado.