Coliseus abandonados

Símbolos das Olimpíadas, complexos construídos para os jogos em diversas sedes tornaram-se estruturas fantasma

Sexta, 21 de julho de 2017
Obras quase faraônicas, construídas em velocidade recorde, com custos astronômicos, mas que nessa mesma agilidade mergulham no mais completo abandono. A história das cidades que sediaram as Olimpíadas está repleta de exemplos de imensas estruturas que, após as competições, sofrem um esvaziamento por completo. Na teoria, o principal motivo político para se sediar uma olimpíada é o tal legado que os jogos supostamente deixam para a cidade, mas na prática não é bem assim que as coisas têm funcionado há muitos anos. Confira alguns exemplos desses verdadeiros Coliseus abandonados:

Olimpíadas de Inverno de Sarajevo 1984

Sarajevo foi a primeira cidade comunista a sediar uma Olimpíada. Foi um marco que representou o empenho do Comitê Olímpico de incluir todas as nações, independente da política. Entretanto, dez anos depois, a Iugoslávia dividiu-se em Bósnia e Herzegóvina. A guerra começou e Sarajevo ficou sitiada pelos quatro anos seguintes. O resultado: a área olímpica transformou-se em zona de guerra e ambos os lados brigaram pelo controle das pistas de esqui.







Olimpíadas de Verão de Atenas 2004

Terra natal dos jogos, Atenas voltou a sediá-los 108 anos após os primeiros Jogos Olímpicos da Era Moderna. Ao todo foram desembolsados 15 bilhões de dólares nas Olimpíadas de Verão de 2004. A maioria dos estádios foi projetada precariamente, focando somente num esporte que tinha pouco interesse local. Outro fator determinante nesse caso foi a crise econômica que se instaurou na Grécia em 2010. São então espelhos d'água destruídos, construções deterioradas, ruas esburacadas e um estádio de beisebol tomado por vegetação.







Olimpíadas de Verão de Berlim 1936

Um dos eventos mais conturbados da história. A capital alemã recebeu o maior evento esportivo do mundo numa das épocas mais controvérsias da história mundial. O anfitrião do evento, Adolf Hitler, então chanceler do país, tinha a intenção de utilizar o evento para mostrar ao mundo a superioridade da raça ariana e da Alemanha. Ele teve que engolir, em casa, que o maior medalhista da mais importante modalidade olímpica, o atletismo, foi o velocista afroamericano Jesse Owens. O caso é que passados 80 anos, as construções estão totalmente abandonadas e nada mais representam do que um grande elefante branco para o governo alemão.







Olimpíadas de Inverno de Sochi 2014

A edição na cidade russa de Sochi foi a última sede dos Jogos Olímpicos e a mais cara de todas até o momento, com investimento de R$ 121 bilhões. Mas apenas dois meses depois do término dos Jogos, toda a Vila foi abandonada pelo governo russo e ainda foi atingida diretamente pela crise econômica que atingiu a região devido a guerra na Criméia. O lugar se tornou um exemplo de desperdício de dinheiro público e hoje ganhou ares de cidade fantasma.





COMENTÁRIOS

Alvaro Paniguel Lang 22/07/2017 05h25

E no Brasil? tudo as traças também..que vergonha, acho que estamos piores ...

* Campos obrigatórios. Seu email não será divulgado.