GARIMPO DESIGN

Angela Borsoi em sua escapada ao Velho Mundo garimpou trabalhos de designers e arquitetos bem interessantes, como o da italiana Giada Schneck

Sexta, 02 de maio de 2014
O trabalho de Giada Schneck aponta um novo mercadado para os designers de interiores brasileiros, o "Home Tipology Revise", direcionado às empresas de construção que geralmente desenvolvem projetos de prédios com 'tipologias padronizadas' e sem muita atenção à identidade daqueles que querem a diferença  e  nele. Ela oferece seu serviço antes da fase de venda e que consiste, principalmente, em valorizar o imóvel.





Entre outros trabalhos, Giada também desenvolve  o "Home Staging", serviço que tem como objetivo valorizar os pontos positivos e as qualidades do imóvel, deduzindo o cliente e levando-o a observar tais requisitos nos primeiros 90 segundos da visita.


O design de Giada Schneck é puro 'made in Italy'. O DNA do seu trabalho carrega as características do design italiano, reconhecido e apreciado no mundo inteiro.

Pude conhecer pessoalmente Giada, acompanhado-a no I Saloni  (Salão Internacional do Móvel de Milão 2014) e no Fuore Saloni, onde pude constatar o seu ‘olho afiado’ que não deixava  escapar nada de mais interessante.

E como uma estilista, Giada Schneck conhece as medidas do ambiente e do próprio cliente. 'Costura' o vestido que o ambiente veste melhor, mesclando-o com o design contemporâneo e o antigo: confecciona-o na medida, preenche-o com discrição e com elegância nas cores, estuda os cenários e sua relação com a luz — protagonista do seu trabalho. 





E agora, apreciaremos muito que ela aceite o convite da Associação Brasileira de Designers de Interiores (ABD/ DF) para vir nos apresentar, pessoalmente, seu trabalho numa palestra.
Conheci também em Lisboa, nesta primavera de 2014, o arquiteto Paulo Henrique Durão, jovem português que gosta de desenvolver projetos de habitação, contentores de sonhos ou imaginários.



Todos os anos, a revista Wallpaper distingue vinte profissionais da arquitetura — e em 2013, foi a vez de Paulo Henrique Durão, de 34 anos, integrar a lista dos jovens arquitetos mais promissores, lado a lado com colegas ingleses, brasileiros e espanhóis.


A Casa em Moreira é o projeto favorito de Paulo por ter sido o último — daqui a uns meses pode ser outro...

Mas como “o primeiro amor que nunca se esquece”, este reflete a Casa em Pedrógão, que ocupa um lugar importante na carreira deste jovem arquiteto, formado na Universidade Lusíada, onde também é docente.



... E até  a próxima!

COMENTÁRIOS

Sonia Lacombe 04/05/2014 21h29

Angela, vc é uma craque!!!Sempre procurando matérias de interesse da classe e batalhando pelo crescimento profissional dos designers. Parabéns!!!

* Campos obrigatórios. Seu email não será divulgado.