CASA EM COPACABANA É DEMOLIDA PARA DAR LUGAR A PROJETO DE ZAHA HADID

Seis estrelas, o hotel será o primeiro trabalho da arquiteta no Brasil.

Quinta, 20 de fevereiro de 2014
Começaram as obras para o primeiro projeto da arquiteta Zaha Hadid no Brasil (já havíamos falado do hotel aqui). A conhecida Casa de Pedra, localizada na luxuosa Avenida Atlântica, no Rio de Janeiro, e uma das últimas residências  da região, foi posta abaixo para dar lugar a um hotel seis estrelas projetado pela primeira mulher vencedora do prêmio Pritzker, considerado o maior prêmio da arquitetura mundial. Por ter um endereço tão ilustre e por demolir uma antiga e querida construção, o projeto levanta mais uma vez a questão: até onde é proveitoso demolir construções históricas, com grande carga de conteúdo emocional, em detrimento de novos projetos?



O imóvel foi residência de Zilda Azambuja Canavarro Pereira, que viveu ali até seus 103 anos. Durante anos, a proprietária resistiu à especulação imobiliária e se recusou a vender a casa onde morou sozinha, sem filhos. Em 2012, após seu falecimento, os sobrinhos que herdaram a casa leiloaram não apenas a propriedade de 5 mil m², mas também vários objetos que estavam ali, como os quadros Marquesa de Lomellini, do pintor belga Anton Van Dyck, do século 17, e O Voto de Heloisa, de Pedro Americo; baixela de vermeil de 245 peças da Tétard Frères, e um par de poltronas Luis XV, do século 19, que pertenceu à coleção de Elizabeth Taylor.



O empresário Omar Peres, dono do restaurante La Fiorentina e proprietário da TV Panorama, afiliada da Rede Globo em Juiz de Fora (MG), e o sócio Germán Eframovich, dono da companhia aérea Avianca, não se importaram com o valor material da propriedade e arremataram o imóvel por R$ 32 milhões — corretores estimam entre R$ 30 mi e R$ 40 mi o valor de um imóvel do gênero na orla do bairro.
Este será o terceiro hotel 6 estrelas do mundo (os outros estão no Catar e na África do Sul) com apenas 12 andares. "Vamos oferecer além do que o cinco estrelas oferece: um carro de luxo vai buscar o hóspede no aeroporto, bebidas como vinhos, uísque e prosecco estarão incluídos na diária", contou Peres em entrevista. Ainda são poucas as informações precisas sobre o projeto, foi divulgado que serão nove quartos por andar e cada habitação contará com um mordomo bilíngue responsável desde as roupas dos hóspedes até reservas em restaurantes. A diária será por volta de US$ 1.000,00 e a previsão é de que ele esteja pronto para as Olimpíadas de 2016.



Uma curiosidade do projeto: a demolição da casa levou três dia e será necessário cerca de um mês para o terreno ficar todo limpo. A iraniana Zaha Hadid pretende utilizar as pedras da casa na nova construção em uma das paredes de entrada do hotel, que deve receber imagens do designer Aroeira sobre grandes nomes do Rio de Janeiro. Foi divulgado ainda que Peres, que já construiu outros dois hoteis na cidade, está negociando com o chef Alex Atala para trazer sua marca à cidade.

A ARQUITETA
Aos 63 anos, Zaha Hadid é um dos nomes mais admirados e premiados da arquitetura mundial. Vencedora do Prêmio Pritzker em 2004, a primeira mulher (e muçulmana) a receber o prêmio, é conhecida como a Rainha das Curvas por seus projetos conceituais. Nascida em Bagdá, formou-se primeiramente em matemática na Universidade Americana de Beirute e depois cursou arquitetura na Architectural Association de Londres, onde tornou-se membro do Office for Metropolitan Architecture (OMA), trabalhando com seu antigo professor, o arquiteto Rem Koolhaas. Em 1979, passou a estabelecer prática profissional própria em Londres e já na década de 80 lecionou na Architectural Association.



No início da carreira, Zaha ficou conhecida como a arquiteta que não conseguia executar seus projetos, extremamente complexos e conceituais, mas nos anos 2000 conquistou o mundo em uma rápida expansão graças ao boom de construções icônicas, no qual projetos arquitetônicos espetaculares foram escolhidos como salvação por cidades e empresas que os encomendavam. Hoje, a arquiteta comanda um escritório de 400 profissionais, realizando 950 projetos em 44 países.



Como seu mentor, Rem Koolhaas, afirmou "Zaha é um planeta em sua inimitável órbita" e seus projetos seguem essa característica. Suas maiores construções realizadas foram a Vitra Fire Station, o MAAXXI Museum, o Centro Aquático de Londres e o constroverso anexo para o Serpetine Sackler Gallery. Em andamento, estão previstos o Estádio da Copa do Mundo da Fifa de 2022 no Qatar, um edifício de apartamentos próximos do High Line Park, em Nova York e o Estádio Olímpico de Tóquio.



COMENTÁRIOS

Marcos Aurélio 29/06/2014 09h48

Sou arquiteto e atuo na pequena cidade com o nome Leopoldina em Minas Gerias, cidade do empresário Omar Peres. Onde todos o chama de "Catito". Sou fã da aerquitetura de Zaha Hadid e tenho uma admiração pela cultura do oriente médio. Gostaria muito de poder aprender mais sobre arquitetura e percebo a oportunidade próxima de o fazê-lo, já que a obra acontecerá "pertinho de casa". O Brasil ganhará muito com a iniciativa de Omar Peres na contratação de um projeto dessa natureza, tanto no âmbito sócio-econômico quanto no cultural, pois seremos parte de um novo marco da arquitetura a nível mundial aplicada no espaço urbano carioca.

Arlete Silva 21/02/2014 07h44

Tenho 50 anos e ainda estudante, optei por fazer arquitetura aqui em BH, estou no nono período, mas ainda não fiz estágio. Estou tão tensa com a situação que tenho sonhado com o problema. Sonhei que era estagiária desta obra, sem saber ainda que ela existia. Tal foi a surpresa quando me deparei com este artigo. Até a aqui é sério. Agora vem a brincadeira!!! Qual o nome do filme???.... quem sabe... quem sabe...resposta... "um sonho distante"...rsrsrs. Bom dia a todos!

* Campos obrigatórios. Seu email não será divulgado.