arquitetura maravilhosa no Rio de Janeiro

Roteiro com alguns dos projetos arquitetônicos mais significativos e assinados por profissionais renomados atestam que não é só a natureza a autora dos maiores cartões postais do Rio de Janeiro

Quarta, 22 de novembro de 2017

O Rio de Janeiro tornou-se conhecido mundialmente como Cidade Maravilhosa graças as suas belezas naturais que viraram cartões postais e alguns dos principais pontos turísticos do Brasil. Mas muito se engana quem pensa que somente a natureza se encarrega de agregar valor às paisagens urbanas da capital e encantar a vida dos cariocas. Diversos pontos do Rio, como o Centro e a zona Sul, por exemplo, contam com verdadeiros trunfos arquitetônicos cujas linhas, em sua maioria arrojadas, contribuem para fazer as ruas mais surpreendentes. E porque não dizer que até mesmo exclusiva? Afinal, alguns dos grandes laureados pelo Prêmio Pritzker têm sua assinatura pela cidade.

Aqui você pode conferir uma lista atualizada com todos os vencedores do Prêmio Pritzker, o Nobel da Arquitetura: http://anualdesign.com.br/blog/7220/premio-pritzker/



Ipanema, reduto de bons achados arquitetônicos, tem o Hotel Fasano como um de seus ícones. Localizado na Vieira Souto, tradicional Avenida do Rio, o edifício traz sofisticação e muito charme como seus nortes principais. Concebido por Philippe Starck, cada detalhe do lugar resgata com toques intencionalmente vintages os anos dourados da Bossa Nova.  Com uma fachada contemporânea, com varandas cuja vista impressiona, o glamour está longe de qualquer extravagâcia presente também no Restaurante Fasano Al Mare e no bar do hotel, frequentados pela elite carioca.

Primeiro projeto assinado por Norman Foster, também vencedor do Pritzker, no Brasil, o Aqwa Corporate é um imponente edifício inteiramente envidraçado, no Centro da capital carioca. O prédio cria um contraste que impressiona ao ser rodeado pelas construções da Zona Portuária, além de ter vistas invejáveis, uma para a Baía de Guanabara e a outra para o Morro da Providência, o relógio da Central do Brasil, além do Pão de Açúcar e o Corcovado. Empreendimento “verde”, como é chamado, ele tem uma estação que coleta a água de chuva para irrigar jardins e uma inclinação de 20 graus que faz com que a luz solar não incida diretamente nas janelas, garantindo menos calor e maior acústica. Este ano, o local foi escolhido para sediar a Casa Cor Rio de Janeiro 2017.

Saiba mais sobre os ambientes que compõem a Casa Cor Rio de Janeiro em sua 26ª edição: http://anualdesign.com.br/blog/12256/casa-cor-rio-de-janeiro-2017/

Na Barra da Tijuca, entre o mar e as montanhas, a Cidade das Artes é um projeto audacioso criado pelo francês Christian de Portzamparc. O grande complexo cultural é uma grande casa, uma espécie de varanda sobre a cidade. Sua estrutura traz uma pequena urbe contida em uma grande estrutura elevada e construída sobre uma enorme esplanada elevada a dez metros de altura que flutua sobre um parque público, um jardim tropical e aquático concebido por Fernando Chacel. Entre as duas superfícies horizontais da cobertura e da esplanada há grandes paredes curvas de concreto que envolvem os espaços em um jogo de cheios e vazios. A inspiração veio justamente das curvas da montanha e da linha do mar.

Um prédio comercial com a fachada inteiramente coberta por brises jamais seria só mais um edifício. Desenvolvido pelo americano Richard Meier, o Leblon Offices, é composto principalmente por pátios interiores privados, espaços de escritórios abertos e uma série de terraços que criam uma conexão direta com a artéria urbana. Ele tem sete pavimentos acima do nível do solo, com uma altura total de 25 metros e uma área útil de 6.500 m². O refinamento de suas harmonizações entre interior e exterior, além dos materiais e acabamentos, como alumínio, vidro e concreto, fazem dele uma grande contribuição à cidade.



Com uma atmosfera voltada à boemia característica da Praia de Botafogo, o Hotel Yoo2, fundado por Philippe Starck e John Hitchcox, se tornou mais um queridinho dos turistas em sua passagem pelo Rio de Janeiro. O edifício tem uma pegada voltada para a brasilidade, com cores vivas e representativas, além de layouts calorosos, com referências às artes e a cultura. O rooftop é um destaque uma vista privilegiada, além de despontar por um clima alto astral, com músicas e drinks que atraem até aqueles que não são hóspedes.

Conheça um pouco mais sobre o Hotel Yoo2: http://anualdesign.com.br/blog/11397/bossa-e-luxo/



Um dos mais recentes pontos turísticos do Rio de Janeiro, o Museu do Amanhã tem atraído turistas de todo os cantos do mundo para conhecer sua grandiosidade. Concebido pelo arquiteto Santiago Calatrava, a icônica construção localizada no Pier Mauá tem uma cobertura em balanço que se estende por 75 metros sobre a praça de 7600 metros quadrados do museu e 45 metros para o mar. Seus 18 metros de altura ainda são cercados por ciclovias, jardins, extensos espelhos d’água e áreas de lazer.

Isso além daqueles que ainda estão próximos de fazer parte desse cenário. O primeiro projeto assinado pela saudosa Zaha Hadid tem previsão de ser concluído no próximo ano em Copacabana. Pupila assumida de Oscar Niemeyer e primeira mulher a ganhar o Pritzker, ela é o nome por trás do edifício batizado de Casa Atlântica, que contará com 30 unidades e funcionará como um hotel seis estrelas. A construção tem onze andares com 65 apartamentos e uma piscina na cobertura. O layout da fachada remete a uma espinha dorsal, com curvas acentuadas, que sempre foram a marca registrada da arquiteta, falecida em 2016. 

O projeto assinado pelo escritório de Zaha Hadid é não somente impressionante, como polêmico. Leia mais: http://anualdesign.com.br/blog/7294/veja-em-primeira-mao-o-primeiro-projeto-de-zaha-hadid-no-brasil/

COMENTÁRIOS

Seja o primeiro a comentar!

* Campos obrigatórios. Seu email não será divulgado.