Traços de Paulo Mendes da Rocha

Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia (MuBE) inaugurou exposição que homenageia o arquiteto brasileiro

Quarta, 05 de abril de 2017
Pedra no Céu, esse é nome com o qual foi batizada a exposição que o Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia (MuBE), em São Paulo, inaugurou no último dia 1º em homenagem ao arquiteto Paulo Mendes da Rocha. É assim que o artista se refere ao grande plano horizontal de concreto armado da marquise do MuBE, que se apoia em duas bases: pedra no céu. O local da mostra não poderia ser mais especial e coerente, afinal, o museu foi projetado por Mendes da Rocha.



Aberta à visitação até o dia 02 de julho, de terça a domingo, das 10h até as 18h, a exposição conta com mais de 50 peças de 25 artistas, exibindo obras tridimensionais, fotografias, pinturas e desenhos. Um dos destaques é a maquete do MuBE, pertencente à coleção do Museu de Arte Moderna de Nova York. Além disso, as pranchas apresentadas ao concurso do museu, localizado no bairro Jardim Europa, também integram a mostra.



Com 88 anos, o arquiteto é um dos maiores nomes da arquitetura brasileira. No ano passado, ele recebeu um Leão de Ouro pela Bienal de Veneza e ainda foi o vencedor do Prêmio Imperial do Japão 2016. Vale ainda mencionar que há exatos dez anos o arquiteto era consagrado mundialmente ao se tornar o segundo brasileiro a receber o Prêmio Pritzker.




Relembre alguns dos projetos assinados por Paulo Mendes da Rocha:

O Cais das Artes, no Porto de Vitória, no Espírito Santo: http://www.anualdesign.com.br/blog/4631/arquitetura-para-arte/

A Pinacoteca de São Paulo: http://www.anualdesign.com.br/blog/3295/a-pinacoteca-de-sao-paulo/

Museu Nacional dos Coches, em Lisboa: http://www.anualdesign.com.br/blog/8950/exposicao-a-ceu-aberto/

Sobre o arquiteto:
Paulo Mendes da Rocha é formado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Mackenzie e um dos principais nomes da produção arquitetônica brasileira. Nascido em Vitória, ES, em 1928, ele já declarou que se criou contemplando a engenhosidade do mundo. Além do Pritzker – que antes dele o único brasileiro a receber foi Oscar Niemeyer –, Mendes da Rocha também foi reconhecido pelo Prêmio do Ministério da Cultura Brasileiro, em 1998, e consecutivamente pelo I e II Prêmio Mies van der Rohe de Arquitetura Latino-Americana, em 1999 e 2000.

COMENTÁRIOS

Seja o primeiro a comentar!

* Campos obrigatórios. Seu email não será divulgado.