Joia rara

Releitura de colar traz a tona lado desconhecido de Lina Bo Bardi

Terça, 25 de outubro de 2016
 
Como arquiteta, a ítalo brasileira Lina Bo Bardi deixou sua marca e muita admiração pelos traçados de suas obras espalhadas pelo país. O que pouca gente sabe é que seu aprimorado senso estético também era voltado para o design de joias. Paixão despertada em sua juventude, na Itália, quando se encantava com as vitrines da Via dei Condotti, em Roma. E que foi transportada para o solo brasileiro e suas pedras semi preciosas.


 
As variedades nativas como os cristais de quartzo e turmalinas integraram a coleção autoral contendo 19 acessórios entre anéis, colares e pulseiras. A joalheria Talento, interessada em tornar público essa sua faceta acaba de lançar a coleção Joia de Artista, que traz uma releitura do colar desenhado e estreado por Lina durante a abertura da primeira sede do Masp. O trabalho é fruto da grife mineira dirigida por Jacques Rodrigues, com o curador Waldick Jatobá.

A linha tem objetivo de lançar luz à produção artística e artesanal brasileira, mostrando a intrínseca relação entre a arte e o ofício da joalheria tradicional. O projeto como um todo revelerá composições de outras quatro artistas brasileiras, mantidas em sigilo pela joalheria  mineira.
 

Há exatos 30 anos, o colar original de Lina Bo Bardi foi roubado de sua residência. À época, um dos assaltantes chegou a confessar que se desfez da pedras de água-marinha para vender apenas o ouro da armação. Agora, com a edição da réplica da peça, o Instituto Lina Bo e P.M Bardi será contemplado com um exemplar do colar, que passará a compor o acervo da Casa de Vidro.

COMENTÁRIOS

Seja o primeiro a comentar!

* Campos obrigatórios. Seu email não será divulgado.